28 de set de 2011

NISA: Paredes (a) Meias




Hoje publicamos algo de diferente, alguns dos desenhos do arquitecto Luís Pedro Cruz, com que colaborou em diversas edições do "Jornal de Nisa" (1ª série).
Ao rigor do traço, Luís Pedro Cruz alia um estilo muito particular de "olhar" e "ver" a malha urbana de Nisa, o património, as ruas, os edifícios, as pessoas, enfim, a rede e os fios com que se tecem a arquitectura dos lugares.

27 de set de 2011

ALPALHÃO: O Cruzeiro do Calvário




Designação: Cruzeiro de Alpalhão / Cruzeiro do Calvário
 Localização: Portalegre, Nisa, Alpalhão
 Acesso: Lug. da Devesa de Cima, EN. 118, 246,18. à entrada de Alpalhão no cruzamento da Est. de Gáfete com a Est. de Nisa
 Protecção: IIP, Dec. nº 129/77, DR 226 de 29 Setembro 1977
 Enquadramento: Urbano, isolado em terreno junto à Capela do Calvário
 Descrição: Soco de 3 degraus de planta quadrangular. Coluna oitavada sobrepujada por uma cruz chanfrada tendo esculpida numa das faces a figura de Cristo e na outra, oposta, São João Evangelista ajoelhado amparando Nossa Senhora desfalecida.
 Utilização Actual: Marco religioso-cultural
 Propriedade: Pública: estatal
 Época Construção: Séc. 16
 Arquitecto | Construtor | Autor: Desconhecido
Cronologia: 1512 - A vila de Alpalhão teve foral por D. Manuel; Séc. 16, meados - erecção do cruzeiro (KEIL, 1940) ; a capela do calvário é obra de finais do século; 1953 - obras de reconstrução pela Junta de Freguesia, tendo sido demolido o bloco de granito no qual assentava; posterior suspensão dos trabalhos pela DGEMN e reconstruição da base; 1957, c. de - retomadas as obras de reconstrução conferindo-lhe o aspecto actual.
 Tipologia: Arquitectura religiosa, quinhentista. Cruzeiro sobre soco de planta quadrada, com coluna oitavada figurando num dos lados Cristo na Cruz e no lado oposto as figuras de São João Evangelista amparando a Nossa Senhora desfalecida.
 Características Particulares: A figuração de Nossa Senhora desfalecida sustida por São João Evangelista, ajoelhado e trajando á moda quinhentista.
Materiais: Granito
Bibliografia: KEIL, Luís, Inventário Artístico de Portugal. Distrito de Portalegre, vol. I, Lisboa, 1940.

25 de set de 2011

Nisa na objectiva de Paulo Costa



ARTISTAS DE NISA: José Casimiro




José Casimiro da Piedade Bicho, nasceu em Nisa em 1934. Foi aprendiz de carpinteiro e de acordeão, futebolista, na sua terra natal. Tornou-se num exímio acordeonista e ainda hoje, aos 77 anos e para os amigos, faz a música sair com mestria dos foles da concertina.
Um músico de eleição e a quem, justamente, demos o devido relevo numa das edições do semanário "Fonte Nova", a de 3 de Maio de 2011.

23 de set de 2011

NISA: 2º Encontro de Bombeiros Femininos



Em 12 de Março 2011 realizou-se em Nisa o 2ª Encontro Distrital de Bombeiros Femininos. O Encontro serviu para reforçar os laços de amizade e cooperação entre as Mulheres Bombeiros e de afirmação do papel que as mulheres cada vez mais desempenham na vida das Associações.

22 de set de 2011

MONTALVÃO: Festas Populares 2011



De 8 a 11 de Setembro realizaram-se em Montalvão as festas populares em honra de Nossa Senhora dos Remédios. Espectáculos musicais, touradas, animação e convívio, celebrações religiosas marcaram estas festas anuais que continuam a mobilizar muitos montalvanenses espalhados pelo país e visitantes de aldeias vizinhas.

20 de set de 2011

“Artilheiros” de 80 anos confraternizam

Um grupo de “jovens” nascidos em 1931 levou a efeito no passado dia 20 de Agosto um almoço convívio no restaurante “As 3 Marias” (Nisa).
Como sempre acontece nestas circunstâncias em animada conversação, cada um procurou relembrar o que foi a sua infância, totalmente diferente da época em que, com a graça de Deus ainda vivemos.

19 de set de 2011

POSTAIS DE NISA (3)

Dedicado a Nisa, este postal mostra diversos painéis de azulejos da estação ferroviária de Vale do Peso (Crato). Curiosamente, a maioria dos temas dos painéis, executados pelo grande artista Jorge Colaço, refere-se a temas ou motivos do concelho de Nisa. Os do postal, na parte superior, mostram uma oficina de olaria e o Calvário de Nisa. Na parte inferior, à direita, a Fonte de Baixo, em Alpalhão.

18 de set de 2011

NISA: Pelas estradas do concelho



Quem por aqui passa não fica indiferente à beleza da terra transtagana. Agreste ou bucólica, a paisagem alentejana é o espelho da alma de quem aqui fixou raízes e esperanças.
Não se estranha, por isso, o desejo irreprimível de quantos a fotografam, lançando diversos "olhares" sobre o chão alto-alentejano. As fotos são de Travel, um apaixonado por este rincão de Portugal, como o demonstram muitas das suas fotos.

6 de set de 2011

NISA: No alto da Torre do Relógio


Trabalho difícil e arriscado, este o desempenhado por trabalhadores municipais. A paisagem pode ser soberba e a vista abarcar todo o horizonte. Mas, o desempenho, no alto da torre do relógio, requer toda a atenção e concentração, não vá um descuido deitar tudo a perder.

5 de set de 2011

De comer e "chorar" por mais...

Pois é. Há quem não goste e quem se aflija só pelo cheiro. Mas cá para mim, apreciador, o Queijo de Nisa, o nosso queijo, não tem rival. É certo que há por aí muitas marcas, rótulos e imitações. A zona demarcada, "demarcou-se" ao sabor de interesses e influências políticas. Nisa perdeu - e de que maneira - a referência de um produto que era (é) seu, por origem e razão.
Pelo concelho ainda se fazem alguns com a qualidade tradicional. Poucos, para tanta procura. A foto é de um dos poucos queijos (e marca) de qualidade mais que garantida: os do senhor António Carmona Ribeiro.
O postal é (também) uma evocação da sua memória e da dedicação à "causa nisense" na produção de um dos mais afamados produtos que Nisa já teve e que, inconscientemente, por inércia, irresponsabilidade ou desconhecimento, vamos perdendo...

4 de set de 2011

POSTAIS DO CONCELHO (7)

Ponte monumental sobre a ribeira do Figueiró próximo de Vila Flor (Amieira do Tejo)

ALPALHÃO: O tempo, esse grande Escultor...



Designam-se por monumentos naturais, estas esculturas talhadas no granito da pedra pela acção da Mãe-Natureza. O tempo, esse grande e paciente escultor, deu-nos estas formas, para as podermos apreciar e, ao mesmo tempo, para meditar...
Estão ali, em Alpalhão, próximo da Senhora da Redonda. São fáceis de descobrir, esta, o Focinho do Porco e outra, um pouco mais adiante, a Pedra dos Cinco Dedos. Uma e outra, bem próximas da Anta do Vale Janinho ( a Região de Turismo, vá lá saber-se porquê, "baptizou-a" de Senhora da Redonda).
Para estes "monumentos" não há placa a indicar o caminho, nem interesse em dá-los a conhecer.
Disseminadas pelo concelho, há milhentas formas esculpidas no granito e que poderiam, por si só, constituir um Roteiro e atrair visitantes. A Câmara e as Juntas têm a palavra!