31 de jul de 2011

NISA em Azulejos de Jorge Colaço



É uma obra magnífica, de azulejaria, a deixada por Jorge Colaço nas décadas de 30 e 40 em inúmeras estações de caminhos de ferro de Portugal. Na de Vale do Peso, por exemplo, não faltam, diversos motivos do concelho de Nisa, desde a imagem de uma oficina de oleiro, o Calvário, a central da Foz ou as Moças na Fonte em Alpalhão.

29 de jul de 2011

ALPALHÃO: Postais da Senhora da Redonda



Alpalhão, anos 50, romaria da Senhora da Redonda. Cumprida a devoção, a festa popular tomava conta do imenso descampado junto à ermida. Bailava-se até às tantas, "desatavam-se" alguns namoricos e o dia da Senhora da Arredondei era um dia feliz, para recordar até à próxima romaria.
Numa das fotos são bem visíveis os "autocarros" da época: lá estão, estacionadas, as carroças que levavam e trazia muitos dos romeiros, famílias inteiras que não perdiam a festa mais solene e popular de Alpalhão.

28 de jul de 2011

NISA: À LA MINUTE (13)

A inauguração das instalações da Fundação Lopes Tavares (1954) foi um acontecimento que mobilizou a comunidade nisense. Nisa passou a dispor de importantes infra-estruturas de apoio aos mais pobres, muito pela acção de D. António Lobo da Silveira (Alvito) que doou os seus bens a Nisa, em cumprimento da vontade expressa de sua esposa.

27 de jul de 2011

LUÍS COSTA: Um atleta de fundo

Em jovem bateu-se com os atletas de maior nomeada, em representação de clubes como o Vitória de Setúbal, Sporting, Benfica e Pallés (Portalegre). Espalhou a sua classe e determinação, vencendo provas sem conto na Extremadura espanhola e um pouco por toda a Espanha. Brilhou ao mais alto nível na Maratona de Paris e ainda hoje como Veterano continua com uma "pedalada" só ao alcance dos eleitos.

22 de jul de 2011

NISA: Cegonhas



Senhora cegonha
 (Popular - Alentejo)
 Lá traz a cegonha
No bico o raminho
Que seja bem-vinda
Branquinha, tão linda
Ao seu velho ninho

Senhora cegonha
Como tem passado
Não há quem a veja
Voar prá Igreja
Pousar no telhado

Quando chega o Outono
E o bando levanta
Anuncia a hora
Que se vai embora
Leva a meia branca

20 de jul de 2011

NISA: À LA MINUTE (12)

Noutros tempos, em Nisa, por alturas dos Santos Populares, não havia família com crianças (filhos ou netos) que não fizesse a sua "capela" de flores. Uma para cada criança, menino ou menina, que algumas, orgulhosamente, colocavam na cabeça, antes de serem colocadas à janela, lembrando, precisamente, a existência de miúdos. Hoje, ainda há que mantenha vivo este costume. É só passarmos por algumas ruas e olhar com atenção as frontarias das casas: lá estão, expostas, com um misto de orgulho e carinho.

19 de jul de 2011

NISA: Supermercados Mini Preço com nova loja




A cadeia de supermercados Mini Preço inaugurou no passado dia 15 de Julho, um novo espaço comercial em Nisa, na Rua Sidónio Pais. Um estabelecimento moderno, mais amplo e funcional, com vista a oferecer aos clientes uma maior diversidade de produtos.

18 de jul de 2011

NISA: À LA MINUTE (11)

A capela do Calvário num bonito postal do início dos anos 30 do século passado.

16 de jul de 2011

Rancho das Cantarinhas: Embaixadores de Nisa

 O Rancho Típco das Cantarinhas de Nisa nasceu em 1964. Quase a perfazer 50 anos de existência, o Rancho teve o percurso de outras associações, alternando períodos de grande fulgor com outros vazios e quase esquecimento. Ainda assim permaneceu como o mais fiel embaixador da cultura popular nizorra.
Razões, mais do que suficientes, para que os nisenses compareçam no dia 23 de Julho no Mercado Municipal e apoiem com os seus aplausos e estímulo, os grupos participantes no Festival de Folclore.
O Rancho das Cantarinhas merece!

13 de jul de 2011

12 de jul de 2011

As meias, as modas e os Modys que por aí andam...

Dizem os especialistas que "os tempos não estão para modys", querendo, talvez, dizer modas. Com Moddys ou com outras agências de rating (o mesmo será dizer ratazanas) norte-americanas, Portugal é um país com 8 séculos de história e os portugueses não se deixam atemorizar pelas sanguessugas financeiras e bancárias que pululam um pouco por toda a parte. A vida em Portugal não dá para arranjar um "pé de meia" ainda que, como na foto, haja meias para todos os pés. E pernas...

11 de jul de 2011

NISA: Futebol no Concelho (2)




Legenda das Fotos
1- Equipa de Alpalhão (anos 20). O emblema (SCA) tanto pode indicar Sport Clube Alpalhoense como Sporting Clube de Alpalhão.
2 - Equipa da Sociedade Columbófila Nisense (finais dos anos 70), participante num dos torneio populares de futebol comemorativos do 25 de Abril.
3 - Equipa dos Bombeiros de Nisa (Voluntários ou Municipais?). Não se conhece a data da foto, o que permitiria fazer luz sobre a mesma. Reconhecem-se, entre outros, na foto, o comandante Sena.
4 - Equipa de futebol Estudantes de Arez. A foto é de 13 de Maio de 1956. Nos anos 60, Arez teve excelentes equipas de futebol que ombreavam com as de Nisa, em jogos acerrimamente disputados. O equipamento utilizado fazia lembrar o do Leixões, com riscas vermelhas e brancas.

10 de jul de 2011

TERRA BORDADA DE ENCANTOS (2)

A foto, melhor dizendo, o postal, faz parte de uma colecção editada nos anos 60 do século passado, por iniciativa de António Ladeira Figueiredo, proprietário da Tipografia Nisense, ainda hoje existente.
Mostra a exuberância dos trajes de Nisa, num cenário hoje "recauchutado" para não dizer destruído: o Jardim Público de Nisa, mandado construir em 1931 por diligência da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Nisa, presidida pelo tenente António Falcão.
A mesma entidade (Câmara) que, passados 70 anos, o desfiguraria de forma criminosa.
Um crime sem castigo, como outros, perpetrados pela autarquia, que tão bem diz zelar pelo nosso património...

7 de jul de 2011

NISA: A penosa "vida" de um Cine Teatro

A Petrogal (primeiro, a Sacor) foi à vida, após mais de 50 anos a abastecer os automóveis e outros veículos rodoviários, a contribuir para a economia do burgo. O "Cinema" (Cine Teatro Nisense) mesmo defronte e "velhinho" nos seus 80 anos de uma vida penosa, parecia destinado a melhor sorte depois das obras de restauração que o reabilitaram. Parecia...
Hoje, abre de quando em vez, deixou de projectar filmes - a sua principal função - , que estes, além de não darem lucro também não propiciam a apresentação periódica de um qualquer vereador da Cultura, a fazer pela vida e a antecipar a propaganda.
Reafirmo, o que já escrevi, por diversas vezes: para o Cine Teatro estar "às moscas" e sem cumprir a sua principal função, melhor fora que não o resgatassem do pesado "sono" em que dormia.
Assim, quase sem préstimo, representa um insulto à memória de homens como Manuel Granchinho e José Vieira da Fonseca que há 80 anos, muito contribuiram para transformar o grande sonho em realidade.

6 de jul de 2011

TERRA BORDADA DE ENCANTOS (1)

Esta foto, tirada na Feira de Artesanto e Gastronomia em 2003 "fez" a capa de uma das edições do Jornal de Nisa. Uma das capas, aliás, de que mais gosto. Pela qualidade da fotografia, pela beleza do instantâneo e pelo pano de fundo. Danças, trajes, tradições, desta terra bordada de encantos.
Talvez, a mais feliz e com mais impacto, designação - para mais sem necessidade de qualquer concurso "público", com vencedor previamente escolhido - que melhor sintetiza, numa frase, este nosso concelho transtagano.
O post é dedicado ao Carlos Gordo, provavelmente, a banhos numa das paradisíacas e portuguesas praias da Costa Azul... Quem me dera!

5 de jul de 2011

Sikharuli e Sepé Tiaraju brilharam em Nisa






Foi uma noite de brilho e um espectáculo musical memorável aquele que os grupos SIKHARULI (Geórgia) e SEPÉ TIARAJU (Brasil) ofereceram às dezenas de pessoas que acorreram ao Cine Teatro de Nisa, na noite segunda-feira, 4 de Julho.
De países e continentes tão diferentes, georgianos e brasileiros mostraram todo o virtuosismo das suas danças, o colorido e a magia dos seus trajes, o encanto e a simpatia com que puseram em palco o esplendor das suas tradições.
O público, por vezes tão avaro no reconhecimento dos artistas, esteve, desta vez, ao nível do espectáculo, tributando calorosos e sentidos aplausos, premiando com a sua presença e incitamento, o desempenho de tão singulares embaixadores da cultura.

1 de jul de 2011

MEMÓRIA: Nisa Desaparecida (1)

Era este o aspecto do largo das Portas de Montalvão, em 1968. Hoje, está muito diferente. Para melhor? Para pior? Cada um terá a sua ideia. Mas, quem como eu, fez do largo o ponto central de todas as brincadeiras, só pode achar que as obras de "requalificação", pouco ou nada acrescentaram à fisionomia do espaço. A intervenção no acesso à muralha essa, é horrenda e deplorável. Enfim, "gostos" de quem não gosta...